MCLG Advogados Associados

perfil
 
10.03.2008

INCÊNDIO - ARMAZÉNS COIMEX

Incêndio destrói importados

Um incêndio de mais de 20 horas em três armazéns da Tegma Gestão Logística, da qual o Grupo Coimex tem participação acionária, destruiu milhares de produtos importados que seriam distribuídos no Espírito Santo e em outros estados.

Nos galpões 1, 2 e 3 da empresa, localizada na Rodovia do Contorno, em Cariacica, havia eletroeletrônicos, cosméticos, insumos para indústria farmacêutica, motocicletas, perfumes, televisões, máquinas, entre outros produtos, numa área de 24 mil metros quadrados que foi toda destruída. Apesar da proporção do incêndio, nenhum funcionário se feriu.

Pelas estimativas de Severiano Imperial, presidente do Sindicato do Comércio de Importação e Exportação do Estado do Espírito Santo (Sindiex), no local deveriam estar armazenados produtos de 30 a 40 empresas diferentes.

A Tegma foi questionada sobre a quantidade de itens estocados, por meio de sua assessoria, mas não deu informações sobre o assunto.

COMBATE

Os empregados da Tegma observaram que havia chamas nos armazéns às 3h40 de ontem e, depois da Brigada de Incêndio iniciar o combate ao fogo com água de seus reservatórios, o Corpo de Bombeiros foi acionado e chegou ao local às 4h11.

Para atuar, o major Leonardo Merigueti disse que os bombeiros precisaram usar roupa de material incombustível, capacetes, luvas, botas e cilindros de ar com máscaras para poder entrar nos galpões, já que o foco do incêndio estava no centro de um dos armazéns.

Pela manhã, por volta das 9 horas, a equipe de bombeiros e de brigadistas conseguiu conter as chamas para que não se alastrassem por outras áreas, segundo contou o tenente-coronel Samuel Rodrigues Barboza.

A partir de então, passou-se a fazer o resfriamento das estruturas atingidas pelo fogo, a fim de acabar totalmente com o incêndio.

Mas uma coluna de fumaça “insistia” em fazer parte do cenário da região. Embora não pudesse calcular a que altura chegou, o tenente-coronel Samuel estimou que moradores da Grande Vitória que estivessem numa distância de cerca de 10 quilômetros do local poderiam ver toda aquela fumaça.

A previsão do oficial do Corpo de Bombeiros era de que as equipes continuassem a controlar os focos de incêndio ainda durante a madrugada de hoje.

A operação

Primeiras horas
3h40: começou o fogo e a Brigada de Incêndio da Tegma passou a atuar com seus reservatórios de água.

3h56: a empresa acionou o Centro Integrado de Operações e Defesa Social (Ciodes).

4h11: equipes do Corpo de Bombeiros chegam ao local.

9 horas: o fogo é contido, ou seja, não há mais risco de se alastrar, mas o combate aos focos de incêndio, com o resfriamento da área, permanece

Números

32 mil metros quadrados é a área construída da empresa para armazenagem. Desse total, 400 são para produtos químicos perigosos, mas que não foram afetados.

24 mil metros quadrados é o tamanho da área atingida pelo fogo.

45 bombeiros e 15 civis de Brigadas de Incêndio atuaram na empresa.

10 veículos foram usados, sendo três de combate às chamas, com capacidade para 9 mil litros de água. 800 mil litros de água foram usados.


Apoio

Empresas como ArcelorMittal Tubarão, Vale e Sermavil ajudaram com equipamentos e brigadas durante a operação.

Foram usados carros-pipa que precisavam percorrer cerca de um quilômetro entre o foco do incêndio até os hidrantes. O trajeto durava, em média, 10 minutos mas, enquanto um carro era reabastecido de água, outro estava no combate ao fogo.

Fonte: Corpo de Bombeiros e site da empresa Tegma