MCLG Advogados Associados

perfil
 
30.05.2009

Porto já pode receber cargueiros com maior calado

A Marinha autorizou os navios a trafegarem com um calado maior dentro do Porto de Santos, aumentando sua capacidade de transporte de cargas. Agora, no trecho do Canal do Estuário entre a Barra (entrada do canal) e a Torre Grande (as torres de transmissão de energia da Usina de Itatinga, instaladas ao lado do Terminal de Passageiros), podem navegar cargueiros com 13,3 metros de calado. Antes, o limite era de 13,1 metros.

Entre a Torre Grande e a Alemoa, a medida homologada passou a ser de 12,2 metros. A prática é possível somente com maré alta (a 1 metro).

O anúncio foi feito ontem pelo diretor de Infraestrutura e Execução de Obras da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Paulino Vicente, na sede da empresa, em Santos. Calado é a distância, em uma embarcação entre a linha da água e o fundo do casco.

O alcance destas marcas demandou investimentos de R$ 10 milhões em quatro meses de trabalho contínuo de retirada de sedimentos (dragagem) do leito do canal de navegação, aumentando sua profundidade. Segundo Vicente, "este calado (13,3 metros) do Entreposto de Pesca até a Torre Grande, é inédito no Porto de Santos".

Pelas contas da Docas, cada centímetro ganho possibilita o recebimento de 80 toneladas a mais por navio. Com os 20 centímetros, cada navio poderá transportar 1.600 toneladas a mais. Com isso, a capacidade máxima por embarcação pode chegar a 90 mil toneladas, dependendo da carga.

"É um esforço financeiro importante para atender bem a comunidade portuária, que fez solicitações constantes na esfera do Conselho de Autoridade Portuária", disse Vicente.

Em reunião realizada na última segunda-feira, a Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP) pediu a colocação de mais duas boias de sinalização na entrada do canal de acesso ao Porto de Santos para homologar as novas medidas. Segundo a Autoridade Marítima, a exigência tem por objetivo garantir maior segurança na navegação. As boias foram instaladas na última quarta-feira.

Segundo a Codesp, o novo calado foi alcançado há cerca de dois meses, unicamente por meio de dragagem de manutenção do Porto. O serviço é executado para manter as profundidades do canal de navegação, bacias de evolução e berços de atracação.