MCLG Advogados Associados

perfil
 
28.12.2009

Armadoras perdem US$ 11 bilhões em nove meses

As 22 maiores operadoras marítimas de contêineres perderam cerca de US$ 11 bilhões nos primeiros nove meses de 2009 e enfrentarão novas perdas no ano que vem, já que a indústria está saindo da pior recessão em sua história de mais de 50 anos.

Um total de 16 operadoras, que publicou resultados do terceiro trimestre, registrou prejuízos operacionais acumulados de US$ 9 bilhões nos primeiros nove meses deste ano, de acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria francesa AXS-Alphaliner. A firma utilizou como comparação o lucro operacional combinado de US$ 5,3 bilhões que estas empresas obtiveram no mesmo período em 2008.

Estima-se que as seis transportadoras restantes (Mediterranean Shipping Company (MSC), CMA CGM, Orient Overseas International Ltda., Hamburg Süd, Emirados Árabes e Pacific International Shipping Line) tenham sofrido outros US$ 2 bilhões em perdas operacionais em suas unidades marítimas.

A receita total das 16 transportadoras que publicaram seus resultados - incluindo Maersk Line, Hapag-Lloyd, China Shipping, K-Line e NYK Line - caiu 40% nos primeiros nove meses, de US$ 94 bilhões para US$ 56 bilhões, de acordo com o levantamento.

O Transpacific Stabilization Agreement, um acordo discutido entre as transportadoras que controlam 90% das cargas norte americanas importadas em contêineres da Ásia, prevê uma queda de US$ 20 bilhões nas operações neste ano e recomenda um "programa de receitas de emergência" envolvendo um aumento da taxa de frete US$ 400 por contêiner de 40 pés em 15 de janeiro. O Westbound Transpacific Stabilization Agreement, representando operadoras do comércio EUA-Ásia, seguiu com sua própria recomendação para caminhadas semelhantes.